Our Blog

Escolher o “nome da criança” não é uma tarefa fácil. Naming é um processo de criação do nome da empresa, serviço ou produto. Processo que exige cultura, pesquisa, criatividade e… viabilidade jurídica.

Um nome é transmitido dia após dia, em conversas, em mídias sociais, sites… nos produtos, nos cartões de visitas, na publicidade, na imprensa e etc. Mesmo assim, muitos ainda Ignoram a IMPORTÂNCIA DO NAMING dentro da estratégia corporativa.  Escolher mal um nome para um negócio ou para um produto pode, sim, comprometer os esforços de marketing, seja pela má comunicação, seja porque as pessoas não conseguem pronunciar o nome escolhido nem lembrar-se dele. A escolha de um nome errado pode ainda causar riscos jurídicos para a empresa, obrigando-a a mudar de nome ou retirar produtos do mercado, sem contar os gastos com advogados e processos.

A verdade é que um nome “bem bolado” pode determinar a história da marca, ajudando-a a se desenvolver e a crescer. Em um projeto de branding, o nome, o tom de voz e o slogan fazem parte da identidade verbal e pode iniciar o processo de posicionamento da marca e “dizer” ao público quais são seus diferenciais. Assim, é de suma importância que o nome escolhido esteja em consonância com os valores da empresa, que reflita a sua história e, especialmente, que prepare caminho pro futuro. Bem como a essência, um nome não deve ser fruto de uma tentativa de descrição do produto ou serviço oferecido, mas sim do espírito, da personalidade da empresa e do que a distingue de qualquer outra, porque isso é o que vai ligar a marca emocionalmente a todos aqueles que se relacionarem com ela.

“O nome certo prende a imaginação e estabelece uma conexão com as pessoas que você quer alcançar.” (Danny Altman)

Pensar diferente e pensar grande é preciso. A criação de um nome deve ir além do dicionário e considerar que empresas como Google e Flickr não se prenderam a padrões de linguagem; que a Orange, Blackberry e a Apple foram na contramão do convencional; e que todas essas são referências em suas áreas. Como o convencional provavelmente alguém já pensou, o diferencial do nome da sua marca pode ser o inesperado, o incomum, o extraordinário, sendo crucial manter-se aberto para todas essas possibilidades.

Para que uma marca não se torne mais uma no mercado, mas que se destaque e seja lembrada como autêntica e única, é preciso pesquisar, analisar e testar para chegar a um nome. Isso requer muita pesquisa e conhecimentos específicos, entre eles o de linguística e da cultura. A consultora de branding e escritora na área, Alina Wheeler,  diz que deve-se considerar que o nome deve ser:

  • Curto;
  • Simples;
  • Memorável;
  • Fácil de pronunciar, ler e escrever;
  • Visualmente interessante;
  • De fácil busca na internet;
  • Original (distintivo/não convencional);
  • Estratégico (traduzir os atributos e posicionamento da marca);
  • Deve gerar associações positivas;
  • Atemporal (além do modismo);
  • Legalmente protegível.

O nome eficaz é SIGNIFICATIVO, comunica algo sobre a essência da marca e dá apoio à imagem que a empresa deseja transmitir; é DIFERENTE, único; POSICIONA a empresa para o crescimento e facilita as possíveis mudanças; é POSITIVO, tem conotações positivas no mercado atendido e não deve ter fortes conotações negativas; é VISUAL, sua escrita deve ser bonita no logotipo, em um texto simples ou em qualquer apresentação gráfica; e pode ser PROTEGIDO, garantindo não somente proteção legal da marca, mas também os domínios para os sites e mídias digitais que a empresa pretende utilizar.

Alguns tipos de nomes de empresas:

Nomes de Pessoas (Fundador): Empresas que têm o nome de pessoas, geralmente de seus fundadores:

Ralph Lauren • Armani • Ferrari.

Descritivo: Nomes que transmitem a natureza da empresa:

Correios • Bom Ar.

Metafórico: Coisas, pessoas, animais, lugares, nomes mitológicos ou palavras estrangeiras:

Nike • Amazon.

Acrônimo: Estes geralmente são mais difíceis de lembrar por se tratarem de siglas:

IBM • GE • CNN.

Inventado: Palavras comumente inexistentes em nossos vocabulários:

Kodak • Xerox • Häagen-Dazs.

Palavras “Mágicas”: Alguns nomes alteram a ortografia das palavras para criar algo diferente e garantir sua proteção legal:

Netflix • Cingular.

Combinações: Os melhores nomes costumam ser uma combinação dos tipos acima:

Cingular Wireless • Citibank.

É preciso pensar em cada detalhe e compreender não somente do negócio e/ou do processo, mas do mercado onde a marca estará inserida. O nome certo realmente faz a diferença.

 

 

1 O primeiro. Valeu!